O leilão é uma modalidade de venda de bens com arremate rápido, prevalecendo sempre a melhor oferta. Os martelos, desde os primeiros leilões realizados, têm um papel fundamental no evento. Tanto que a expressão “bater o martelo” se tornou sinônimo do ato de encerrar alguma questão, ou, finalmente decidir.

Como um dos maiores leiloeiros do Brasil, Mauro Zukerman, que entrou para o Guiness com o recorde mundial de maior número de lotes vendidos em 6 horas de leilão, possui uma coleção de martelos – sendo esse um dos seus grandes hobbies.

A batida do martelo, nos leilões, tem a finalidade de fechar o negócio. A referência vem já do período contemporâneo, onde os juízes de direito utilizam da mesma ação para pedir silêncio em seus tribunais ou para proferir uma sentença.

Coleção de martelos

Na coleção de Mauro Zukerman existem martelos provenientes de diversas fontes: alguns exclusivos, feitos sob medida com marceneiros, outros encontrados em feiras de antiguidades de diversos países e até alguns advindos da maçonaria.

Mauro Zukerman possui mais de 50 modelos diferentes – alguns com significados bem pessoais, como, por exemplo, o que utilizou em seu primeiro leilão.

Outro martelo pelo qual Mauro tem um carinho especial, é um modelo francês que Helena Zukerman, sua mulher, lhe presenteou. Comprado em uma feira de antiguidades em Paris, o martelo tem hoje mais de 100 anos, 25 dos quais já em posse de Mauro. Com ele, milhares de negócios foram fechados.

Martelo Francês do Mauro Zukerman Presente da sua esposa Helena Zukerman.