Você sabe quais são os princípios básicos de um leilão? Mauro Zukerman te ensina: “um leilão nada mais é do que uma forma pública e mais abrangente de negociar. Começa quando uma empresa, pública ou privada, ou mesmo uma pessoa física, tem um catálogo de itens (lote) ou bens que deseja vender, por um valor (lance) inicial”, conta Mauro.

Em geral, a grande vantagem dos leilões é que os bens são arrematados por valores diferentes, relativamente menores do que os preços praticados no mercado. Quase sempre os leilões se encerram com todos os bens vendidos – Mauro Zukerman é um especialista nisso, tendo, inclusive, entrado para o Guinness, livro dos records.  

Outra grande vantagem em se optar pela venda por leilão é o repasse de burocracias: uma vez que o vendedor contrata uma empresa de leilões para realizar vendas por ele, ele também repassa tarefas administrativas, como publicar editais, desenvolver as descrições dos produtos, efetivar a venda e o recebimento de valores, contabilidade, entre outras tarefas, além da definição de lances mínimos e máximos.

O lance, que nada mais é do que a oferta, o valor financeiro, determinado por cada item, tem peso fundamental em um leilão. “É por ele que os possíveis compradores demonstram seu interesse em adquirir os artigos leiloados, competindo, entre si, por meio da realização de lances maiores, até chegar à conquista do ativo”, conta Mauro Zukerman, que lembra que leilões são públicos, podendo participar tanto pessoas físicas quanto empresas.

Atenção nos leilões

Existem, no entanto, alguns aspectos importantes para se atentar nos leilões. Segundo Mauro Zukerman, o primeiro deles é “sempre estudar os catálogos, editais ou site com atenção, para não ter dúvidas. Apesar das condições de venda serem lidas no início do evento, é sempre bom poder consultar para ver se não há dúvidas de que é aquilo mesmo que você deseja comprar”.  

Outro ponto é: algumas vezes (e dependendo do que será leiloado), é preciso fazer um cadastro prévio para participar do leilão. Então, apesar de públicos, não adianta apenas aparecer no local. “Cheque a necessidade de credenciamento para evitar frustrações”, Mauro Zukerman alerta.

Além disso, Mauro ainda chama a atenção para o fato de que, apesar dos leilões serem públicos, no Brasil só podem participar maiores de 18 anos.